Reskilling – a arte de desaprender e aprender de novo

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Vamos começar pelo básico: o que é Reskilling? 

Segundo o Cambridge Dictionary, reskilling “é o processo de aprender novas habilidades para fazer um trabalho diferente ou treinar pessoas para fazer um trabalho diferente”. De uma forma bem simplória, Charles Darwin (1809-1882), naturalista inglês, na teoria da seleção natural, disse que os indivíduos sobreviverão se conseguirem se adaptar e evoluir  no ambiente.

Trazendo esses conceitos para o mundo corporativo a necessidade de adaptação ganha o nome de reskilling. É exigido cada dia mais do profissional que ele tenha consciência das mudanças que vem acontecendo ao seu redor. Sendo assim pessoas que conseguem se desvincular do que havia aprendido e não que, eventualmente, não tem mais serventia, mas que possuem “abertura” para o novo, com um olhar direcionado para o fazer diferente.

Concluímos que reskilling é fundamental, pois proporciona aprender as novas atividades e atitudes comportamentais e assim, conquistar seu espaço no mercado atual. Dessa forma, evolução no campo profissional chega com a agilidade para reaprender.

Choque de geração dialogando com a capacidade de reskilling

Sabe aquela tia ou o avô que sente muito orgulho de ter passado a vida profissional inteira em apenas uma empresa? Lembra quando eles falavam: “não faz isso, senão vai sujar sua carteira”. Então, essa é a geração X,  está cada vez mais escassa no mercado de trabalho. 

A próxima geração, a Y, já muda drasticamente essa visão. Nesse momento, a individualidade, a conquista pelo topo o quanto antes e a adaptação a tecnologia são características principais dos profissionais dessa época. Os nascidos até meados de 1990 buscam isso incessantemente.

E a Geração Z? Como os jovens nascidos na era digital e com um smartphone nas mãos lidam e principalmente, como lidarão com suas profissões?

Ao inserir todas essas gerações no ambiente profissional, a capacidade de: aprender, desaprender e aprender de novo demonstra forte condição de adaptabilidade e absorção dos novos  conhecimentos.

Profissional do futuro

A crescente busca por profissionais capazes de executar multitarefas é notória dentro das empresas. O jovem profissional que tem a capacidade de trabalhar e ser eficiente em várias atividades tem seu merecido destaque e essa adaptação é uma constante na Geração Z. O que antes era comum escutar “aqui sempre fazemos assim”, agora, nas conversas de corredor, o que mais se ouve é: “ok, vamos tentar outra coisa?” 

Um estudo promovido pelo IBIS Capital e EdTech Global mostra que os jovens profissionais buscam sucesso no mundo por meio de grande mudanças. Para isso essas transformações precisam ser: profundas, conjuntas e sustentáveis. Daí a necessidade de deixar verdades e convicções antigas e engessadas para trás e aprender com a velocidade com que o mundo vem exigindo cada vez mais. 

Então… 

Se reinvente todo o momento. Segundo dados do RH Day 2019, evento promovido pela Startse e participação do Grupo Selpe, 60% do empregos de 2030 ainda não foram inventados. 

Compartilhe nas redes sociais

Deixe seu comentário