Muito além de currículos e estereótipos contrate pessoas

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

A pesquisa que (finalmente) iguala gêneros!

Questão difícil… de toda forma, foi convencionado um padrão e a grande maioria chegou a acreditar que as profissões poderiam ter um estereótipo.

Por mais que tenhamos representações de todos os sexos em vários ambientes de trabalho, existe ainda o fato que todos nós temos mentalmente representações que certos trabalhos seriam mais (ou menos) “adequados” a homens ou mulheres.

Bem evidentemente, há os grandes clichês: “encanador, profissão para homens” ou “cuidadora, para mulheres”!

Mas muito além dessas convenções sociais, existe o SER HUMANO. Abrangendo todas suas nuances e questões muito sutis, que podem ser até mesmo excludentes se não analisada em um contexto geral, amplo e respeitando a individualidade de cada pessoa.

“As mulheres não são suficientemente agressivas para serem boas diretoras comerciais e levar uma negociação adiante…”  #sóquenão

Você sabia que, por exemplo, a maior parte das pessoas imaginam que o trabalho de Diretor Comercial é tipicamente masculino. Pois esse seria um trabalho muito duro e que exige uma postura que não combina para mulheres? Ou ainda que o trabalho de professora seria mais adequado – em teoria – às mulheres, pois estas seriam “mais doces e empáticas”.

Convenções sociais que conseguem colocar  nosso pensamento em caixas destinadas a padronizar  seres humanos.  Contudo a pergunta que cabe nesse  contexto é: a  diversidade que nos torna tão únicos consegue  se  adequar nesses padrões ?

Com certeza, não !

Então de onde  veio essa ideia de que homens  e mulheres possuem aptidões diferentes?

Essa ideia – amplamente difundida – de que homens e mulheres teriam capacidades diferentes vem de uma linha ideológica inspirado no Darwinismo, que considera que as diferenças de comportamentos, de atitudes e aptidões entre os sexos seriam a resultante de um longo processo de adaptação social e biológica da espécie humana.

Em geral, homens e mulheres teriam desenvolvido capacidades diferentes ao longo dos tempos pois a adaptação de uns e de outros teria necessitado de atitudes sensivelmente diferentes.

 A personalidade como fator determinante do sucesso profissional

Por alguns anos não existiam mais dúvidas sobre o fato de que a personalidade (tanto quanto as motivações ou as capacidades de raciocínio) dos indivíduos possuíam um impacto forte sobre sua forma de obter sucesso ou não.

Sozinha a personalidade pode de fato explicar até 43% das diferenças de performance constatadas entre as pessoas mais e menos eficazes.

Então se a personalidade tem tanto poder para determinar o êxito profissional, podemos fazer algum link com os estereótipos ligados aos padrões de gêneros no ambiente de trabalho, simplificando: a personalidade tem sexo?

De fato se argumentarmos que o triunfo em certos trabalhos é impactado pelo gênero dos indivíduos – e tendo estabelecido que a personalidade é um preditor fiável desse mesmo sucesso –, surge o seguinte:

Resultados com muito menos contrastes do que o que poderíamos imaginar… 😊

Se os homens e as mulheres fossem efetivamente caracterizados por atitudes e capacidades tão diferentes, isso deveria se traduzir na observação de disparidades claras com relação as suas respectivas personalidades!

Para estudar e comprovar a existência ou não de diferenças, elaboramos uma pesquisa profunda sobre PERSONALIDADES X SUCESSO X GÊNEROS e os resultados obtidos no teste SHAPE do AssessFirst (teste de personalidade usado por mais de 10 mil recrutadores em 30 países diferentes) pelos homens e pelas mulheres – que o completaram no mês de maio de 2018.

Os resultados que observados em uma amostra de 97.399 pessoas  sendo:

  • 41.280 mulheres versus 56.199 homens

0-9-273x300 Academia do RH

Igualdade homem/mulher

O que se conclui desse estudo – de forma clara – é que não existe diferenças estatisticamente significativas entre os resultados obtidos pelos homens e pelas mulheres nos diferentes critérios de personalidade!

Então, NÃO!

Não existe qualidades tipicamente masculinas ou tipicamente femininas. Pode-se ser mulher e ter uma forte liderança e até mesmo força  física. Como também pode ser homem e expressar suas emoções de forma espontânea e saber cuidar  de pessoas com delicadeza.

O que isso implica… concretamente!

Pode parecer nada…, mas é o tipo super importante de sempre ter em mente. Imagine que você recruta um Diretor Comercial por exemplo: se você (ou os gestores operacionais para os quais você recruta) tem representações sobre gêneros, você terá – conscientemente ou não – uma tendência a considerar mais favorável as candidaturas masculinas para certos trabalhos e femininos para  outros.

Exemplos:

  • Para homens: marceneiro, engenheiro, juiz e as para áreas correlatas a força, liderança e austeridade.
  • Assim como profissionais  femininas estariam destinadas a ser: professora, cuidadora, babá, pedagoga, nutricionista ou carreiras relacionadas a cuidado e  a  ensinar.

Mudando esses estereótipos você muda o mundo.

Caso você não tenha meios, metodologias de avaliar precisamente as qualidades intrínsecas,  as habilidades comportamentais de cada um dos seus candidatos, você terá no final de determinado processo,  boas chances de desvalorizar e até desqualificar, aproximadamente 50% dos profissionais que se inscrevem para concorrer as posições na sua empresa.

 Investir na diversidade tendo a certeza que a criatividade e a multiplicidade de ideias deixará o fomento a inovação sempre de portas abertas para novas ideias, para a inclusão. Essa é uma  das chaves do sucesso até mesmo o fomento a criatividade nas  empresas.

Muito além de currículos e estereótipos contrate pessoas!

Compartilhe nas redes sociais

Deixe seu comentário