Os desafios na avaliação de executivos – hard e soft skill

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Todo processo seletivo é um grande desafio para empresas, afinal este processo irá definir o futuro responsável por alguma rotina importante para a produtividade. Quando falamos na avaliação de executivos, isso se torna ainda mais importante, afinal o profissional irá ocupar um cargo de gestão no negócio.  

É preciso deixar alguns pontos bem claros  

Em um processo de seleção para um cargo estratégico é primordial deixar claro todos os detalhes que norteiam a cultura e os valores que são praticados na empresa. Além disso, é importante ter ciência sobre as expectativas com o nível de liderança e autonomia que o profissional irá exercer na organização. Obtendo estes dados, aumenta a possibilidade de se ter um resultado ainda mais aderente. 

Importância de soft skill para a avaliação de executivos  

Na avaliação de executivos, além de analisar as habilidades técnicas de forma detalhada por meio de entrevistas técnicas que servem para encontrar um resultado palpável, há outras habilidades que fazem a diferença e ajudam a escolher o melhor profissional, são as chamadas soft skills, que são as habilidades comportamentais.  

Ao selecionar o profissional finalista dentre os executivos que possuam a mesma expertise em relação à habilidade técnica, as empresas utilizam as habilidades comportamentais como critério de escolha para o seu negócio. Contudo, como são habilidades subjetivas, normalmente, é um desafio avaliá-las, principalmente por se tratar de uma posição estratégica.   

O uso de ferramentas para avaliação de executivos  

Cada vez mais, a entrevista por competência é utilizada como ferramenta, juntamente com metodologias de inovação, que são os questionários realizados on-line através de plataformas. Estes questionários possuem perguntas focadas em soft skills, gerando uma reflexão espontânea do profissional que as realiza, pois abrange:  

  • Como a pessoa estabelece, administra e desenvolve os seus relacionamentos sociais; 
  • Como ela conduz situações e problemas nos quais é confrontada em sua rotina e quais soluções ela geralmente adota; 
  • Quais são as emoções mais comuns à essa pessoa e o que ela faz com elas; 

Aliado a estas características, é de suma importância compilar as motivações do profissional com a realidade do cargo, e assim verificar o nível de engajamento que haverá na rotina de trabalho. Afinal, quando o profissional se sente motivado ao desenvolver de fato as suas responsabilidades. Esta satisfação o induz ainda mais a desempenhar as suas atividades, aumentando o compromisso e resultados para a empresa e diminuindo a possibilidade de desistir da função.  

O grande desafio 

Após obter os dados da avaliação técnica e comportamental, surge o maior desafio: comparar os resultados de soft skills com o hard skills (habilidades técnicas). Em alguns casos o executivo possui uma trajetória de carreira sólida e uma experiência pertinente para ocupar o cargo em questão. Entretanto, algumas características das habilidades comportamentais não estão aderentes com as expectativas da empresa.  

Agora, é rever junto à empresa quais soft skills realmente serão de destaque e de maior impacto na atuação, para assim escolher o profissional adequado. Portanto, a avaliação de executivos é um processo fundamental para garantir que, ao final de um processo seletivo, a empresa encontre o profissional mais indicado para a vaga, tanto pelo requisitos da vaga, quanto pelo match com a organização. 

Compartilhe nas redes sociais

Deixe seu comentário