A essência da ressignificação por meio da Comunicação, para apoiar o Recursos Humanos no trabalho remoto

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

A hora de elaborar novos sentidos para todos, atue agora

 Acredite, 2020 veio com a missão de nos ressignificar. Tantos desafios, tanta necessidade de mudança, proporciona constantemente uma quebra dos antigos hábitos. Essa necessidade constante de adaptação exige ressignificação.

O setor de Recursos Humanos das empresas é feito por e para pessoas.  Então lógico que acompanhará as mudanças e consequentemente a necessidade de ressignificação que todos estamos vivendo. Talvez nos ressignificar, encontrar novos sentidos, já era necessário. A vida com tanta pressa, com uma rotina tão pesada, sinalizava por meio de doenças, depressões, vícios e outras mazelas que algo não estava dando certo. Com certeza ,este cenário triste da pandemia veio nos trazer à tona, da maneira mais dura possível, a necessidade de restaurar significados às nossas vidas.

Mas o que é ressignificação ?

De acordo com o Dicionário Online de Português, ressignificar não é mudar e sim atribuir novo significado.

O processo de ressignificação é utilizado pela neurolinguística, em estratégias de comunicação, terapias, criações literárias e design. Historicamente o ser humano, quando é retirado do seu hábito, rotina, daquilo que o proporcionava segurança e sentido,  precisa se ressignificar para encontrar seu lugar na sociedade. A necessidade move o ser humano a buscar essa ressignificação. Nós não suportamos a ausência, o nada, precisamos de dar passos seguros e sentir que algo faz sentido, gera para todo ser humano, uma certa tranquilidade.

O que todos ganham buscando ressignificar o meio corporativo?

Para entender o motivo e assim,  elaborar ações de ressignificação e significação, você, enquanto profissional de RH, precisar despertar para o sentimento de insegurança que todos sentem e até você mesmo e trabalhar essa dor.  Portanto, esse é o momento do profissional de RH tomar a frente, ser empático, técnico e dar soluções.  Todos estamos no mesmo barco: diretores, CEOs, gerentes …enfim o Recursos Humanos deve buscar aliados na Comunicação e elaborar suas estratégias para o bem estar geral do mundo corporativo. ( Que responsabilidade, heim? 🙂 )

Mas temos notícias mais fáceis

A transversalidade das relações no ambiente de trabalho está no seu pico. Entendendo esse sentimento, você conseguirtrá elaborar estratégias para apoiar: colaboradores, profissionais e lideranças.

Uma confiança plena nesse momento é ilusão, mas  encontrar novos sentidos, auxiliar e estabelecer uma rotina dentro do Trabalho Remoto e demonstrar apoio é essencial. Mas, da maneira certa, tá? Não sai fazendo reuniões on line desorientadamente e fazendo colaboradores tomar ranso do seu próximo e-mail, por favor não caia nessa esparrela. Quando o RH se torna protagonista nessa empreitada, ele consegue oferecer, engajamento, performance e  trabalhar o Employer Branding ( Sim isso é possível).

Existem técnicas para o sucesso da ressignificação

Atribuir novos significados a acontecimentos, que antes habitualmente fazíamos de determinada forma, auxilia a rotina, promove a produtividade, para assim,  proporcionar a mudança de visão do mundo e consequentemente a construção de um novo significado.

Para fazer esse fluxo de apoio, comunicação e branding é necessário conhecer as soft skills dos colaboradores, para que qualquer campanha, ou ação tenha afinidade com o cenário,clima e total entendimento da cultura da sua empresa, essa mistura de: colaboradores, líderes, cultura, trabalho remoto, insegurança e isolamento social, está ai, você precisa agir diferente, você precisa ser ágil.

O significado modifica a atitude das pessoas

Quando o significado se altera, as respostas e comportamentos das pessoas também se modificam. Sendo assim tusdo vai mudar: as atitudes, forma de agir, consumir, relacionar….etc. Então, esse momento é essencialmente positivo para todos profissionais que atuam no Recursos Humanos ?  Sim, muito positivo. A grande maioria das pessoas desejam reaprender, elas precisam se adaptar. E aqui fica uma dica; quem não tiver essa habilidade de adaptação e reaprendizado está fadado ao ostracismo.

Dentro das organizações não é diferente

As organizações estão buscando as adequações, para permanecer ativas, para assim gerar novos significados e dessa forma, acompanhar: o mercado, os negócios esuas ações de comunicação. Propocionar aos colaboradores, esse sentimento de adequação, dentro do isolamento social, que o trabalho remoto exige é a chave do sucesso. Ou seja, empresas e Recursos Humanos estão em um momento de busca por: novos significados, adaptações, reaprendizados.

Parece simples, mas não é!

 Vamos dar um passo atrás.  O que é significado?

 Nós estamos a todo momento buscando significados para tudo. Faz parte da natureza humana atribuir a todo momento significados às coisas, sejam espaços, utensílios, clima, sorrisos, jeitos. Com isso surgem religiões, manifestações culturais e até mesmo a construção social de vários ambientes, sejam eles: social, familiar, lazer, trabalho e outros.  Podemos dizer que buscar sentido, significado é o primeiro passo na busca pelo propósito.

Uma das melhores histórias sobre propósito, que esboça super bem esse sentimento apaixonado, latente e que move as pessoas a serem a sua melhor versão é:

“A pessoa trabalha o dia todo fritando pastel em pé. Suporta o calor, o barulho, o cansaço. Consegue organizar pastel por paste, um por um, pedido por pedido. Preocupado que a senhora ali quer 3 de carne , 2 de frango pra levar, e 1 de banana com canela para ir comendo. O dia todo, o tempo todo no barulho ensurdecedor de: ” O meu moço!!” ” Ou, ou, ou o meu agora…”  “Você esqeuceu de mim aqui!” Ao fim de um dia de trabalho exaustivo, ele chega em casa, toma um banho e consegue sair para ensaiar a noite inteira na bateria da escola de samba, ou no bloquinho de carnaval que tanto ama. A música para ele é sua fonte de prazer. Ele é um dos melhores perscursionistas, faz a diferença, os solos e levadas são com ele. Porque é lá que essa pessoa, encontra seu propósito, algo que o faz sentir realmente inteiro e assim fazer  a diferença na sua vida.”

Qual o seu propósito na vida?

Seguindo o sentido dessa  história, essa pergunta acima nos leva a pensar os caminhos que escolhemos. As nossas escolhas tem a ver com tudo aquilo que gera algum tipo de significado na nossa existência, algo que faça sentido real na nossa vida capaz de nos mover com sentido e até mesmo em outro nível com paixão.

O site de pesquisa sobre conceitos,  cita uma pesquisa feita pelo Hospital John Hopkins concluiu que, as pessoas com propósito vivem mais do que aquelas que não tem, e vivem mais também do que aquelas pessoas que cuidam da saúde.

O sentido para a nossa vida passa por dar significado ?

Sim, desde criança buscamos sentido! Através dos 5 sentidos: olfato, tato, audição, paladar e olfato, o bebê vai aprendendo a lidar, entender o mundo, assim vai elaborando sua realidade. Encontrar os sginificados que fazem sentido na sua vida é achar o que te motiva.

Para começar  essa busca, pelo seu auto conhecimento, e assim encontrar seu propósito responda algumas perguntas:
  1. O que você gosta de fazer ? ( faça uma lista)
  2. Qual a sua habilidade ?
  3. O que você faz de melhor ?

Ter um propósito deve ser visto como uma forma prazerosa de viver a vida, como algo que te ajuda a dar sentido para ela. Essa missão, esta paixão que nos move (em alguns mais e em outros menos) é o propósito.  Existe para todos.

Mas, isso é uma outra conversa. Vamos entender o conceito do, significado e ressignificação, em sua essência?

 Um breve estudo sobre ressignificação

Os seres humanos estão, a todo momento, criando significados para de alguma forma dar sentido à sua existência e projetar sua historicidade. É através desta significação que são baseadas as crenças, os desejos, os objetivos, os sonhos, que são os responsáveis por guiar as preferências das pessoas. Desta forma, acredita-se que o ser humano é o único animal terrestre que consegue criar um habitat simbólico (MILLER, 2013).”

A semiótica e os signos

Por isso o estudo da semiótica, a pesquisa e o entendimento dos signos se faz tão necessário, desde 1839. Segundo Charles Peirce o ser humano significa tudo que o cerca numa concepção “triádica” (composta de 3 elementos essenciais).

Sendo assim, Peirce entendeu que tudo o que se torna claro à nossa consciência, segue necessariamente uma análise gradativa de 3 elementos padrões e formais. Essa construção do significado, assim o faz numa gradação de três propriedades que correspondem aos três elementos formais de toda e qualquer experiência.

 As categorias são:

  •       Qualidade;  O primeiro pensamento que nos atinge é inicialmente, original, espontâneo e livre,      ele precede toda síntese e toda diferenciação ( Primeiridade)
  •       Reação. Ser óbvio e entender os fatos como eles são ( Secundidade)
  •       Mediação. A elaboração cognitiva em si (Terceiridade)

Por meio dessa tríade construímos signos e usando-os conseguimos entender e gerar várias estratégias para apoiar as pessoas, o mundo ao nosso redor, criando ferramentas para ressignificar seus trabalhos, suas vidas, experiências…e etc

O apoio que o RH pode oferecer e a Comunicação Interna

Permeie todas as ações que abrange suas ações de Branding, RH interno, Employer branding, Comunicação Interna com: originalidade, argumentos factuais e enfim, auxilie a construção cognitiva. Mas para mapear tudo isso com muita excelência, você precisará de conhecer sua equie, seus colaboradores

Os dados apoiando o RH

Existem ferramentas que usam people analytics por meio de inteligência artificial e conseguem traçar planos de desenvolvimentos com dados reais, precisos, de cada colaborador.

Deixar  as pessoas soltas sem apoio nesse momento, sem um plano de desenvolvimento,  sem conteúdo é perder a possibilidade de construir um significado novo de marca e posicionamento. Todos estão sedentos por apoio e algo que faça sentido novamente. Por mais que a sua organização ainda esteja construindo todos os novos conteúdos e significados, comunique se importe, seja claro.

 Algumas ideas para conduzir a ressignificação:

  1. Happy Hour online ( Espontaneidade)
  2. Momento da conversa livre com gestor- on line ( Ser óbvio)
  3. Envie para cada colaborador, uma caixa com vários papéis para escrever todos os dias uma frase que faça significado e sentido para ele. (Mediação)
  4. Encontros virtuais com fatos reais que estão acontecendo no negócio, na empresa para todos entenderem onde estão. (Ser óbvio)
  5. E-mails com fotos de encontros, festas que aconteceram e mostre que os líderes estão dispostos a escrever uma nova história, um pouco de bom humor e afeto trará resultados. Exemplo: “Tá com saudades, né minha filha! 🙂 “. (Espontaneidade)
  6. Propor dinâmicas e rodas de conversa entre equipes para que cada um entenda o que outros colaboradores estão vivendo. ( Mediação)
 O embate da antiga gestão com a necessidade de adequação ao novo

 Todo esse novo contexto deve estar sendo especialmente dolorido para quem fazia micro gerenciamentos, para líderes inseguros, com dificuldade em analisar produtividade e se agarravam em detalhes mínimos como atrasos de minutos, formas de falar, vestir, ou seja líderes com raízes essencialmente autoritárias. Dessa forma o que pode significar autonomia, responsabilidade, qualidade de vida, segurança (no quesito saúde pela pandemia), para todos os colaboradores, para algumas lideranças pode significar desconfiança e falta de engajamento. Hora de ressignificar não é mesmo? Acredito que sim!

Mas, depois de tudo isso, alguns não veem junto e ai?

 Performance não piora com home office, apenas demonstra quem já não estava  há muito tempo com afinidade com a organização. Então, por mais ações que as equipes e o RH Interno venha a promover essa ressignificação. Mesmo que existam, reuniões organizadas por um Kanban na metodologias scrum, planos de desenvolvimento e feedbacks, premiações, benefícios, palestras e uma comunicação super eficiente com a liderança, caso não faça sentido, não signifique algo a mais, para este profissional sua produtividade e satisfação serão medíocres.

Conclusão

Nesse momento de tantos desafios, uma cultura forte é decisiva para que as organizações consigam sair dessa pandemia fortalecidas. Aproveitar esse momento para ressignificar e fortalecer o RH Interno, Marketing e outras áreas que necessitam e precisam da Comunicação, use a estratégia da ressignificação agora.

Então, qual a sua estratégia de ressignificação para engajar seus colaboradores? 

Um grande abraço,

Ana Caldeira

 

A essência da ressignificação por meio da Comunicação, para apoiar o Recursos Humanos no trabalho remoto Blog

Coordenadora de Comunicação do Grupo Selpe.  Apaixonada por pessoas e claro, por Recursos Humanos.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe seu comentário