Como diminuir o turnover? Use estratégias eficientes.

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

A alta rotatividade de colaboradores impacta diretamente seus resultados

Sabe quando você faz todos os processos, contrata um profissional e de maneira repentina, ou não, ele acaba se desligando da organização? Não há dúvidas que o objetivo seria conquistar o “match ideal”, ou pelo menos chegar o mais próximo disso, desde o Recrutamento e Seleção (R&S) até a Gestão de Pessoas. Esse é um dos desafios que o RH encontra a todo o momento.  

É verdade que as equipes para funcionarem em harmonia precisam contar com o engajamento dos profissionais que a compõem. Porém, um dos maiores desafios da gestão é identificar onde estão os problemas que dificultam esse engajamento. Dito isso, uma boa opção é iniciar um planejamento de ações estratégicas para minimizar os impactos nos resultados.   

Inteligência artificial e a cultura organizacional 

O uso de inteligência artificial já é um assunto bastante discutido mundo afora. Quando pensamos na trajetória do colaborador, que vai desde o R&S até o desligamento, se faz necessário empoderar o RH ainda mais para que as tomadas de decisões sejam baseadas em dados.  

Os relatórios de People Analytics conseguem dar esse suporte para o setor e, com números e informações, é possível elaborar análises preditivas consistentes e, desse modo, verificar o sucesso de um determinado perfil dentro da cultura organizacional estabelecida. Treinamentos, Planos de Desenvolvimento Organizacional (PDO) Planos de Desenvolvimento Individual (PDI) são ações que poderão ser tomadas para que a retenção de talentos seja natural e evasão diminua. 

Cada etapa do profissional dentro da sua empresa merece uma atenção especial. Junto a isso, é fundamental que você tenha clareza da sua cultura para que suas ações alcance os objetivos esperados. A cultura organizacional da sua empresa precisa ser partilhada com todos em sua unicidade.   

Veja essas perguntas e tente entender como está seu ambiente de trabalho: 

  • Seus líderes motivam seu aprendizado?  
  • Como eles propõe a forma de aprender? 
  • A organização investe em você ou incentiva o alcance de alta performance? 
  • Você consegue perceber a cultura? 
  • As ações internas te motivam?  
  • Você está satisfeito? 

Caso as respostas tenham sido na maioria negativa, fique atento. A sua organização precisa começar a entender o valor de uma liderança estratégica. 

Acredite: com o engajamento dos líderes, aliado a uma cultura bem definida e um trabalho de formação profissional, o turnover tem a tendência de ser cada vez menor. 

Cuide do Recrutamento e Seleção do seu futuro colaborador  

É preciso conhecer seu futuro colaborador além do que o currículo dele informa. Isso, porque o cenário que vivemos atualmente indica que 46% dos profissionais contratados deixam seus empregos com menos de 18 meses de contratados. Isso se dá devido à falta de habilidade comportamental ou até mesmo da inadequação a cultural empresarial.  Sendo assim, firmamos mais uma vez que não basta recrutar profissionais só por apresentar bons currículos. Conheça e analise bem as soft skills do seu futuro talento. 

O recrutar significa descobrir se o seu futuro talento tem o perfil compatível com o da sua empresa necessita também se ele será bem-sucedido em seu novo posto de trabalho. Por isso, realizar o match com a cultura da empresa e com a liderança é um grande passo para que a compatibilidade com o ambiente de trabalho seja preditiva. 

Dito isso, é sabido que há uma facilidade grande em reter um talento quando há paixão no que se faz e recrutar é parte fundamental desse processo. O intuito é realmente diminuir a rotatividade de pessoal de uma organização.  

Valorize a experiência do seu colaborador. 

Você já ouviu em Experiência do Colaborador? Então, atualmente essa expressão está sendo bastante discutida e vem do termo Costumer Experience, que se popularizou no começo da década e tem como objetivo tornar a trajetória do consumidor com a organização a melhor possível. 

Sendo assim, chegou a hora de mapear e entender a trajetória do profissional dentro da organizaçãoQuando empresas deixam o tratamento de seus talentos para segundo plano e acreditam que eles não precisam de cuidados, é um erro na maioria das vezes fatal. Nesse sentido é um fato que muitos colaboradores optam por sair de seus postos de trabalho por não serem escutados, não se sentirem valorizados, não terem um ambiente de trabalho agradável ou não ser possível vislumbrar uma trajetória de desenvolvimento. O sentimento de frustração e de insatisfação pode afetar diretamente o clima organizacional, o que o leva para à ineficiência. 

Desenvolver o gerenciamento dessa experiência (employee experience) é deixar que a jornada do seu colaborador fique ainda mais próxima do que você é capaz de oferecer dentro de sua organização. Sempre se pergunte: meu talento está em um clima bom? Ele percebe possibilidades de crescimento? É valorizado? As respostas para esses questionamentos darão a você um caminho a ser seguido.  

Mais uma dica para diminuir o turnover: escute o seu talento! 

Ouvido ativo. Isso mesmo, enquanto as abordagens acima podem parecer estratégicas, há uma de extrema importância: ouvir escutar o seu colaborador. É preciso lembrar diariamente que o seu colaborador faz o possível para o sucesso da organização e ele precisa saber isso que você reconhece isso.  

Conhecer seus talentos e suas reais motivações faz com que sua trajetória dentro da empresa seja ainda mais potencializada. Por isso, entender o que o faz bem e como você pode auxiliar no exercício de suas tarefas é um excelente caminho.  

Colaboradores satisfeitos, alinhados com a cultura organizacional produzem em média 85% mais. Assim, todo mundo sai ganhando: o ambiente, a empresa, o funcionário e claro, a saúde de todos agradece. 

Compartilhe nas redes sociais

Deixe seu comentário